OS CHÁS E SEUS PODERES ABORTIVOS – MITO , CRENDICE OU REALIDADE

Sabe se que nos tempos mais antigos quando as mulheres não queriam engravidar as pessoas mais antiga indicavam chás para o aborto. Hoje ainda se crê muito nisso e uma busca rápida na internet nos da um leque de opções para as ervas que podem ser abortivas. Mas até que ponto isso é verdade.

Qualquer erva é um remédio ou uma droga o que irá diferenciar isso é a dose. Qualquer que seja a erva ou medicamento pode ser nociva e causar vários males.

A lista de chás é extensa e muitos não se preocupam com os efeitos porque muitas vezes o aborto não é concretizado e muitas crianças nascem com sequelas por causa disso. Pode ocorrer má formação no feto, complicações para o mesmo e para a mãe.

  • Aloe Vera (também chamada de Babosa), Catuaba, Angélica, Jarrinha;
  • Arnica, Artemísia (também chamada de Losna), Sene, Mata Pasto;
  • Erva de Santa Maria, Lágrima de Nossa Senhora, Mirra;
  • Copaíba, Trombeta, Cravo dos Jardins, Erva Grossa, Erva Andorinha;
  • Hera, Erva de Macaé, Azedaraque, Hortelã, Guaco,Noz Moscada;
  • Quebra Pedra, Peônia, Jaborandi, Erva de Bicho, Beldroega;
  • Pessegueiro, Romã, Cáscara Sagrada, Ruibarbo, Salsaparrilha;
  • Jurubeba, Ipê, Buchinha do Norte, Canela, Carqueja.

A erva mais famosa usada (para fins que não são os corretos) é a BUCHINHA DO NORTE.

chá de bucha do norte é altamente tóxico e pode provocar aborto.  Os efeitos colaterais do chá de buchinha costumam surgir 24 horas após sua ingestão e incluem: fortes dores de cabeça, náuseas, vômitos, dores no abdômen, podendo evoluir para hemorragias, coma e morte.

Acredita-se que a substância tóxica causadora de tais efeitos, incluindo o aborto, seja a isocucurbitacina B, presente na bucha do norte. Pesquisas científicas buscam analisar o efeito abortivo do chá de buchinha do norte e seu potencial em causar má formação do feto, quando o aborto não ocorre.

Um estudo realizado na UFMS testou o efeito abortivo da buchinha em ratas prenhes. A pesquisa concluiu que o extrato da planta teve ação abortiva nos animais.

Outra pesquisa desenvolvida na UFRGS, utilizando camundongos como cobaias, buscou verificar o efeito abortivo do chá da bucha do norte e identificar em que período da gestação esse efeito ocorria.

O estudo concluiu que é provável a ação abortiva da bucha do norte no período em que ocorre a implantação dos embriões no útero. Além disso, os resultados mostraram que não se pode desconsiderar um efeito de má formação do feto e prejuízos ao seu desenvolvimento.

O que se pode concluir é que o chá dessa planta não deve ser ingerido de forma alguma, seja com a finalidade de provocar aborto ou por qualquer outro motivo.

Além dos graves efeitos colaterais que se pode ter ao tomar o chá da bucha, que incluem coma e óbito, caso o aborto não ocorra, o feto poderá ter malformação ou não se desenvolver normalmente.

 As pesquisas podem ser lidas nesses links:
http://www.abhorticultura.com.br/biblioteca/arquivos/Download/Biblioteca/44_186.pdf
http://www.ufrgs.br/museuvirtual/ppts/Luffa.pdf

Sou favor da descriminalização do aborto por n motivos. Um deles é esse , uso não convencionais de métodos abortivos que podem ser nocivos tanto ao feto quanto a mãe e podem ocasionar vários males.

A mulher tem que decidir o que ela quer e o que é melhor pra ela sempre, pois o corpo e as consequências a serem sofridas serão exclusivamente dela.

Deixar um comentário